Louvai e bendizei ao meu Senhor,e dai-lhe graças. Servi-o em grande humildade.

Louvai e bendizei ao meu Senhor,e dai-lhe graças. Servi-o em grande humildade.
Louvai e bendizei ao meu Senhor,e dai-lhe graças. Servi-o em grande humildade.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Quem põe a mão no arado e olha para trás, não está apto para o Reino de Deus.




Paz e Bem!

O  Evangelho de  São Lucas 9, 51-63,  nos trás três situações vividas por Jesus  quando se dirigia para Jerusalém, pois  “estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu”.

Primeiro Jesus manda Tiago e João à Samaria, para que encontrassem um lugar de repouso para eles. Os samaritanos  não O receberam, porque Ele iria para Jerusalém. Tiago e João quiseram tratar a Samaria como Sodoma foi tratada, eles quiseram mandar fogo do céu para destruir os samaritanos.

Quanta pretensão deles heim?

Jesus apenas os repreendeu, Jesus tinha capacidade de conviver com  o diferente, Jesus não suportava eram os fariseus, ah os fariseus ....! Eles eram, e continuam até hoje ...tão fariseus,  não é mesmo?...

A seguir alguém pede para seguir o Senhor, e Jesus lhe fala das durezas desse seguimento, um caminho sem descanso, sem confortos, um caminho de pobreza.

A um outro Jesus diz: Segue-me. Este  queria segui-Lo, mas queria voltar e enterrar seus mortos.  A ele Jesus diz, deixe que os mortos enterrem seus mortos, você vá anunciar o Reino. Um Reino que é vida, que não tem reminiscências com o passado. 


Um Reino que se situa sempre no futuro, no lugar da nossa esperança.

E o último daquele caminho, até que queria seguir Jesus, mas queria antes, se despedir do pessoal de casa.
Não está pronto ainda, porque o seguidor do Senhor é aquele ou aquela que põe a mão no arado e não olha para trás. 

E aí volta o simbolismo do início, quando Tiago e João queriam destruir a Samaria como Deus destruiu a cidade do pecado.

E essa fala de Jesus > “quem põe a mão no arado e olha para trás, não serve para o Reino” , isto corresponde à  estória da mulher de Lot, que olhou para trás e ficou “ inanimada”. Virou estátua , perdeu a vida.

Nenhum  estava pronto, o primeiro talvez não fosse capaz de ser pobre, de passar as exigências do caminho. Os outros dois  tiveram algo que era mais importante para  fazer, mas o Reino de Deus,  que é a libertação do pobre e do oprimido pelo pecado , e pela fome.

A liberdade de que Paulo nos fala na carta aos Gálatas : "É para a liberdade que Cristo nos libertou. Ficai firmes e não vos deixeis amarrar de novo ao jugo da escravidão". 

Somos livres e capazes de levar a frente trabalho da construção do Reino, sem olhar para trás?



Frei Bento, irmão menor e pecador.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário